O Grupo Nossa Equipe Estrutura Produção Científica Projetos Teses e Dissertações TCC Artigos Notícias Eventos Vídeos Downloads Links Contato

2015. SIMULAÇÃO DE DERIVA DE ORTHOSULFAMURON EM EUCALIPTO, CLONE GG 100


TCC

Autor(es): Mayara Jade do Nascimento Tardeli

Data: 2015

 

Orientador: Pedro Luis da Costa Aguiar Alves

 

Palavras-chave: maturador, Eucalyptus, Saccharum, crescimento


Resumo:

No Brasil, o crescimento de novas áreas florestais, preferencialmente
com a cultura do eucalipto, ocorre paralelamente com a expansão da área
plantada com a cana-de-açúcar. Esse crescimento de ambas as culturas
induziu que áreas vizinhas de produção sejam comuns, principalmente no
Estado de São Paulo, onde se concentra a maior produção de cana-de-açúcar.
Para um melhor planejamento de safra ou para antecipação da colheita, os
reguladores de crescimento são amplamente utilizados na cultura da cana-deaçúcar.
Porém, a ocorrência da aplicação destes produtos de forma
inadequada, pode ocasionar perdas do produto por deriva e atingir áreas
vizinhas com outras culturas, como a do eucalipto, podendo refletir em
prejuízos em seu desenvolvimento, notadamente na fase inicial de implantação
da cultura. Desta forma, objetivou-se com este trabalho avaliar os efeitos da
deriva simulada de um maturador químico em mudas de (Eucalyptus urophylla,
clone GG 100). O delineamento experimental utilizado foi inteiramente
casualizado, com nove tratamentos e quatro repetições, totalizando 36
parcelas. Os tratamentos consistiram em nove doses crescentes do maturador
orthosulfamuron: 0; 1,19; 2,39; 4,78; 9,56; 19,12; 38,25; 76,5 e 127,5 g i.a. ha-1.
Foram realizadas avaliações para obtenção da altura das plantas de eucalipto
aos 0, 14, 28, 42 e 63 dias após a aplicação (DAA) do maturador. Aos 63 DAA,
com o término do experimento, avaliou-se o diâmetro, a área foliar e a matéria
seca de folhas, caules e raízes. Concluiu-se que não houve efeito do
orthosulfamuron nas plantas de eucalipto em nenhuma das características biométricas avaliadas, demonstrando que esse produto, até a dose de 127,5 g
i.a. ha-1, é seguro para a cultura do eucalipto.


Arquivo:

2017_02_0152873.pdf



Desenvolvido por Daksa